Energia solar sob o comando feminino

A energia solar é a minha carreira desde 1998, quando ingressei na área. Naquele tempo, a presença feminina era praticamente nula. Mas calma! O texto não vai levantar bandeiras femininas. Estou mencionando o fato porque é pertinente para os meus objetivos com este post: ressaltar o crescimento da presença das mulheres e incentivar ainda mais participação. Lá no meu início, havia certa resistência por eu ser mulher, o que talvez foi consequência do período e da presença imensamente maior de homens. Entretanto, isso nunca foi um limitador e tampouco desencorajou minha decisão.

Na criação da SS Solar, em 2009, eu já acumulava 11 anos de experiência na área por meio da atuação em 3 multinacionais. Mas desbravar o mercado com meu próprio negócio foi muito motivador. Somado a isso, o entusiasmo pelo potencial gigantesco da energia solar no Brasil, que tem dimensões continentais e áreas ainda sem acesso à energia, continua a ser meu foco. Como o segmento era – e ainda é – repleto de desafios, conhecimento e determinação são qualidade exigidas a todo instante. Neste sentido, ter o propósito claro de almejar impactar vidas com acessibilidade é a base da minha veia empreendedora.

Assim como a Paola Carosella, que tem uma história que me inspira muito, afirmo com segurança que energia solar é o meu mundo. É o assunto que eu domino e no qual me realizo. Há muitas outras mulheres que também estão fomentando o crescimento do mercado e que eu admiro. Inclusive, parabéns especial à Erika Alencar, que está ao meu lado diariamente. Observar o aumento da participação feminina tanto no Brasil quanto internacionalmente vem de encontro ao que eu almejava nos primórdios da SS Solar. Afinal, a pertinência deste mercado é imensa e cada nova pessoa que se dedica ao setor é um avanço.

 

Liderança feminina em ascensão.

Obviamente, o que acontece com o mercado solar é reflexo de um movimento global de aumento da presença feminina. Especificamente as áreas de ciência e tecnologia foram território deles por anos. Mesmo que os homens continuem a ser maioria, a cada ano, nota-se um crescimento da presença feminina, inclusive na academia. Há também o incentivo de instituições com a UNESCO, que tem entre suas pautas o aumento da presença feminina em exatas, engenharias e tecnologia.

Para que a ascensão continue e evolua, gostaria de fazer um convite direto às mulheres e, principalmente, estudantes. Descubram o quão relevante é o mercado da energia solar para a transformação da vida das pessoas e para a redução dos impactos ambientais. Estudem o setor, se engajem e participem da renovação do mercado e da progressão do modelo energético. Será um prazer dividir espaço com mais mulheres na liderança da energia solar.

0 Comments